Portal IFNMG - Campus Diamantina recebe doação de CD-livro do músico Carlos Farias e do Coral das Lavadeiras de Almenara Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Campus Diamantina recebe doação de CD-livro do músico Carlos Farias e do Coral das Lavadeiras de Almenara

Publicado: Sábado, 17 de Agosto de 2019, 11h23 | Última atualização em Segunda, 19 de Agosto de 2019, 15h35

cd

A biblioteca do Instituto Federal do Norte de Minas – Campus Diamantina (MG) recebe a doação de 10 CDs “Riozinho”, o mais recente trabalho do músico Carlos Farias e o Coral das lavadeiras de Almenara (MG). O CD-livro “Riozinho”, como o próprio Carlos Farias o concebe, é uma “carinhosa declaração de amor às águas e à Mae Terra”. Com encarte cuidadosamente elaborado, reproduz-se as letras das 14 canções, as belíssimas fotografias e o poema de abertura, de João Evangelista Rodrigues. A obra é um convite para se estabelecer uma amorosidade com a biodiversidade cultural e ambiental.

É digno de nota o fato de que Carlos Farias, além de músico, é psicólogo, humanista, pesquisador e ativista cultural, sempre à frente das causas que envolvem a questão ambiental, a cultura popular, os povos em vulnerabilidade como os quilombolas e os indígenas, as comunidades ribeirinhas, os geraizeiros, dentre outras minorias. Desde o ano de 1992 conduz o seu “Coral das Lavadeiras”, considerado um dos mais importantes grupos de cultura popular do Brasil, cuja visibilidade se estendeu para outros países e rendeu teses de doutorado e dissertações de mestrado. A incursão pela cultura popular resulta em um rico repertório de sambas, batuques, modinhas, cantigas de roda e toadas de influência africana, indígena e portuguesa.

lavadeiras

O músico produziu outros CDs-livros, que merecem destaque: “Batukim brasileiro- O canto das lavadeiras (2002), “Aqua”- A música das lavadeiras do Jequitinhonha” (2005), Devoção (2014) e “Palma do rio” (2017). Como os próprios títulos de seus trabalhos sugerem, há uma recorrência da consideração da biodiversidade, sobretudo através de um chamado para a valorização da água, do rio, que se configura como uma personagem viva, uma entidade que se emancipa em forma de grito de socorro e, ao mesmo tempo, é elemento que compõe a lembrança afetiva daqueles que conviveram com um rio de sua infância. Não é gratuito o poema de abertura do CD-livro “Riozinho”, cujos versos fazem-nos liquefazer em amor à terra: “Dos rios de minha infância/(...) trago momentos inesquecíveis (...) guardo as curvas e os nomes/ De cada um deles na memória líquida”. A magia também compõe o trabalho do músico: quem já ouviu, viu o ritual musical da benção das águas experimenta uma inexplicável transcendência.

A canção que dá o título ao CD-livro “riozinho” (segunda canção) convoca: “Vamos preservar o riozinho/Ele é filho da Mãe Natureza/Água limpinha, lindos peixinhos/Sinais de vida em nosso planeta.”, canção que conta com a participação de duas crianças (Júlia Rodrigues, de 11 anos e Ana Tereza de 14 anos). Outros importantes músicos do Vale Jequitinhonha também participam do CD, tais como Beatriz Farias (com a maravilhosa canção “Fonte de Oxum e Oxalá”), Mestra Crisolina Guimarães (mãe do músico, com 98 anos de idade), Wilson Dias, Dea Trancoso, o Coral das Lavadeiras e as diversas informantes das canções de domínio público, representativas do Vale Jequitinhonha.

O CD-livro “Riozinho” é o desdobramento do projeto “Jequiticanto” – Batendo roupa, Cantando a Vida- Pronac 1511239, aprovado na Lei Federal de incentivo à Cultura pela Associação Comunitária das Lavadeiras. Através desse projeto, o músico realizou rodas de conversas e cantoria, palestras-show sobre “Cultura popular – identidade e inclusão” em escolas nas cidades de Almenara, Teófilo Otoni e Diamantina, com objetivos de reforçar os sentimentos de pertencimento dos participantes, estimular a criatividade, difundir o conhecimento que atravessa gerações se enriquece o patrimônio cultural imaterial brasileiro.

biblioteca

Para a Professora Marli Fróes que intermediou a doação dos referidos CDs, a biblioteca recebe um importante acervo que será utilizado em seus projetos culturais e aulas no núcleo integrador, quando ofertará a disciplina “Literatura e cultura popular do Vale Jequitinhonha”. A coordenadora e professora a do Curso de Teatro, Mariana Emiliano Simões reconhece a importância desse material para as aulas e montagens culturais do Curso de Teatro.

Reconhecendo que a escola tem papel fundamental para o desenvolvimento do sentimento de pertença (e de tudo que envolve as questões identitárias), do estímulo da criatividade, da valorização da cultura local e da cidadania, sobretudo por meio do desenvolvimento de ações em defesa da diversidade e da biodiversidade, o CD-livro “riozinho” trará bastantes iluminações. Expressamos, portanto, nossa gratidão ao músico Carlos Farias e o Coral das Lavadeiras. Saravá! Axé! Odoyá! Adupé!

 

 

Fim do conteúdo da página