Portal IFNMG - Teia, uma peça Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Publicado: Terça, 04 de Dezembro de 2018, 08h31 | Última atualização em Terça, 04 de Dezembro de 2018, 08h43
TEIA cópia.jpg
 
Teia é uma peça que parece um quebra-cabeça cênico. Sua história por vezes lembra um pouco o estilo de filmes do diretor de cinema americano Quentin Tarantino por sua ambientação e seu recorte temático ligado ao submundo. Uma história que se passa em muitos lugares ao mesmo tempo, contando histórias de uma sociedade corrupta e violenta. Os personagens se conhecem e se ligam de formas distintas durante a peça. Pouco a pouco, o quebra-cabeças vai se resolvendo e o contexto vai ficando claro.
 
A peça que surgiu da imaginação fértil de Liliane Penna e Markkim Santtos. A peça tem uma dramaturgia complexa com muita qualidade. Ao mesmo tempo que tem uma estrutura rebuscada, a grande quantidade de palavrões acaba servindo como um requinte estético tornando mais interessante o texto. Em vez de tornar a peça mais chula, torna-a mais rica ainda, como se esse fosse um tipo de dialeto daquela sociedade.
 
Segundo Daniel Alberti, Liliane Penna é uma joia rara no teatro, uma facilidade absurda e uma sensibilidade de atuação invejável. Markkim Santtos, segundo o diretor, tem um futuro muito promissor, sua dedicação e disponibilidade lhe propiciaram uma técnica apurada e uma facilidade de improvisação muito grande. A junção dos dois nessa criação foi um grande encontro que possibilitou criar uma peça sensacional.
 
Além dos dois atores, a ótima atuação de Jordão Vieira, Cláudia Moreira, Thaysa Santtos , Luiza Pedra, Milena Santos, Otávio Faria, Stheffany Hellen são muito precisas e possibilitam que uma peça difícil como essa consiga ter ainda mais força cênica.
 
A peça vai apresentando os personagens em situações distintas e vamos descobrindo que todas as vidas estão interligadas como uma enorme teia que é a sociedade. As vidas se cruzam num mundo decadente em que a corrupção e os desastres naturais mudam a história de todos de forma irreversível. A sociedade aparece como ema engrenagem corrupta e complexa.
 
A peça estará no Festival de Teatro de Diamantina IFNMG que acontece no Teatro Santa Izabel nos dias 10, 12 e 14 de dezembro. A peça será apresentada duas vezes, dias 12 e 14.
SERVIÇO
Teia
Dias 12 e 14 de dezembro 19h
Teatro Santa Izabel
Gratuito
Direção – Daniel Alberti e Shay Soares
Classificação indicativa – 16 anos
Festival de Teatro de Diamantina IFNMG 2018
Dias 10, 12 e 14 de dezembro – 19h
Fim do conteúdo da página