Portal IFNMG - Alunos de Informática fotografam o espaço aéreo do Norte de Minas Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Alunos de Informática fotografam o espaço aéreo do Norte de Minas

Publicado: Quinta, 10 de Novembro de 2011, 12h00 | Última atualização em Terça, 11 de Setembro de 2012, 15h57

 Cápsula presa a balão levou câmeras que fotografaram a cerca de 45 mil metros de altitude

Cápsula presa a balão levou câmeras que fotografaram a cerca de 45 mil metros de altitude    


Um projeto do Curso Técnico de Informática do IFNMG - Campus Montes Claros realizou com sucesso nesta segunda-feira,(7 de novembro), um registro fotográfico do espaço áereo do Norte de Minas Gerais.

O Projeto Aeris – coordenado pelo Prof. Júlio César Guedes Antunes – contou com a participação dos alunos José Francisco Clementino de Jesus, Rogério Almeida Pereira e Railda Martins de Souza, que montaram duas câmeras em uma cápsula presa a um balão meteorológico. Toda a atividade de pesquisa levou cerca de seis meses para ser desenvolvida, culminando no lançamento bem sucedido da última segunda-feira.

O lançamento foi realizado nas futuras instalações do Campus Montes Claros, localizada no bairro Village do Lago III, que serão inauguradas em breve.

O procedimento de montagem final do veículo espacial demorou cerca de 90 minutos. Conforme planejado, o balão subiu facilmente, carregando a cápsula (batizada de “Flamarion Wanderley”, em homenagem ao pioneiro da aviação em Montes Claros), enquanto as câmeras registravam imagens em intervalos pré-programados pela equipe. O balão seguiu uma trajetória bastante parecida com a que havia sido prevista com a ajuda de cartas de vento meteorológicas.

Após o lançamento, a equipe retornou ao IFNMG para monitorar o voo, através do sinal de GPS emitido pela cápsula. Cerca de duas horas e meia após o lançamento, a cápsula caiu numa região rural conhecida como Dois Riachos, entre as cidades de Francisco Sá e Barrocão.

Seguindo as coordenadas de GPS enviadas, a equipe conseguiu encontrar a cápsula num charco de capim alto, observando que sua estrutura estava praticamente intacta.

Ao analisar as imagens obtidas e fazer os cálculos de altitude e trajetória, observou-se algo inesperado:  “Realmente nos surpreendeu. Calculamos que nossa cápsula subiria até cerca de 30 mil metros, mas os registros mostram que ela atingiu algo próximo dos 45 mil metros de altitude, disse José Francisco. Foi muito mais alto do que pensávamos”.

Todo o material foi recolhido e levado ao campus para análise. Entre as mais de 800 fotos registradas, diversas mostram a cidade de Montes Claros vista do alto, nas quais constam detalhes da geografia norte-mineira nunca antes registrados dessa altitude (excetuando-se fotos de satélite) e fotografias que revelam a curvatura da Terra contrastando com a escuridão do espaço.

O Prof. Júlio César declarou-se muito satisfeito com o resultado da experiência: “Atingimos nosso objetivo. Esse primeiro voo foi um aprendizado para nós; o que mais me deixa feliz é que construímos tudo com nossas próprias mãos: montamos os equipamentos, fizemos os cálculos e realizamos o lançamento e recuperação. Não tem preço esse sentimento. Somos a primeira escola do Brasil a realizar este feito”.

Veja toda a galeria de imagens do lançamento clicando aqui.

Fim do conteúdo da página