Portal IFNMG - Evento marca os cinco anos da educação a distância no IFNMG e confirma importância da modalidade no processo de interiorização do ensino e de inclusão social (2) Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Evento marca os cinco anos da educação a distância no IFNMG e confirma importância da modalidade no processo de interiorização do ensino e de inclusão social (2)

Publicado: Quarta, 13 de Dezembro de 2017, 18h09 | Última atualização em Quinta, 14 de Dezembro de 2017, 16h22
imagem sem descrição.
É tempo de comemorar os cinco anos de implantação do Centro de Referência em Formação e Educação a Distância (CEAD) no IFNMG. E para celebrar a data, o Instituto decidiu promover um encontro entre os que, habitualmente, só se veem e se comunicam a distância. Alunos, professores, tutores e demais servidores do CEAD/IFNMG se encontraram no II Fórum Regional de Educação a Distância do IFNMG, realizado nos dias 8 e 9 de dezembro, no IFNMG-Campus Montes Claros.
 
Os participantes tiveram a oportunidade de discutir, assistir a palestras e fazer minicursos e workshops que tiveram ligação com o tema deste ano: "Educação, Diversidade e Tecnologia".
 
O reitor do IFNMG, professor José Ricardo Martins da Silva, fez questão de agradecer as pessoas responsáveis pelo sucesso do CEAD nesses cinco anos, tempo em que foi preciso superar desafios. "Em 2012, só tinha 30 antenas para atender 184 municípios. Foi com dificuldade que começou o processo de implantação da EAD no Instituto, em parceria com o Instituto Federal do Paraná, que naquela época era referência em Educação a Distância. Mas hoje somos o que somos. Nesses cinco anos, foram quase 120 milhões de reais em programas e ofertas próprias por meio da educação a distância. Isso significa que estamos realmente atingindo as pessoas que precisamos alcançar", afirmou o reitor durante o seu pronunciamento na solenidade de abertura do Fórum.
 
Compromisso contínuo
 
Hoje, o CEAD é responsável por atender 162 municípios com 166 polos implantados. Mas o reitor destacou que, apesar de o IFNMG estar entre as instituições mais respeitadas, principalmente na área de educação a distância, é necessário avançar mais. "Precisamos atender toda a nossa área de abrangência", defendeu.
 Antônio Carlos
Para o diretor do CEAD/ IFNMG, Antônio Carlos Soares Martins, avançar significa garantir acesso à educação àquelas pessoas que, de outra forma, dificilmente teriam uma oportunidade de fazer um curso técnico, superior ou de pós-graduação, a fim de ter uma perspectiva de futuro melhor. "Nós acreditamos, desde o início, que um projeto de educação a distância é uma forma de interiorização e de inclusão".
 
Antônio Carlos refletiu por meio de números a importância da atuação do CEAD/ IFNMG. "Nesses cinco anos, o CEAD contou com a parceria de mais de 8 mil colaboradores para atender mais de 40 mil alunos matriculados na modalidade EAD". Se os números refletem a importância do CEAD na região, o testemunho convence.
 
A aluna do curso técnico em Tradução e Interpretação em Libras do CEAD/ IFNMG, Daniella Fernandes (foto abaixo), defende a importância da educação a distância, principalmente como forma de oportunizar que o aluno realize seus sonhos. O da Daniella é ser uma médica que domina a Língua Brasileira de Sinais. Foto 4 daniella Fead
 
"Eu já ouvi casos de pacientes que não possuem uma liberdade para conversar com o médico, que não sabe se comunicar em Libras. Além disso, não  há intépretes nas unidades de saúde. Eu quero ter esse diferencial".
 
Daniella estudou toda a sua vida em escola pública e ainda não passou em Medicina. Ela afirma que não poderia dar continuidade ao seu sonho se o IFNMG não ofertasse esse curso a distância, pois dedica todo o seu tempo para estudar para Medicina, curso que tenta há cinco anos.
 
Show à parte
 
Durante a abertura oficial do II FEAD, o Grupo Fitas fez uma apresentação que emocionou todos os presentes. A cultura de Montes Claros e região foi refletida pelas cores e ritmos do grupo.
 
A conferência de abertura ficou por conta do professor Felipe Cézar de Castro Antunes, graduado em Sistemas de Informação pela Unimontes e mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Uberlândia.
 
 
Felipe, que atua como professor de programação há mais de 10 anos, falou sobre "Tecnologias disruptivas e sua influência na educação". No dia 09, sábado, o Fórum continuou com um momento cultural: Apresentação dos alunos do curso técnico em Libras, interpretando a música “Trem Bala”, da cantora Ana Villela.
 Palestrante
Também houve, entre outras atividades, uma mesa-redonda, intitulada "A prática de ensino na era pós-digital: desafios e perspectivas", com os professores Alcino Franco de Moura Júnior e Welington Silva.
 
Em todas as oficinas, palestras e no espaço tecnológico do CEAD, houve intérpretes de Libras. 
 
Fim do conteúdo da página