Portal IFNMG - Do Sudão para o Brasil: sudaneses participam de curso sobre produção agropecuária no IFNMG-Campus Arinos Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Do Sudão para o Brasil: sudaneses participam de curso sobre produção agropecuária no IFNMG-Campus Arinos

Publicado: Terça, 12 de Junho de 2018, 18h01 | Última atualização em Quarta, 13 de Junho de 2018, 10h57
Sudaneses vão ficar em Arinos durante sete dias, período em que vão participar de um curso sobre técnicas agropecuárias
imagem sem descrição.

Quase 10 mil quilômetros separam o Sudão do Brasil. Mas a soma de esforços e a vontade de conhecer técnicas e potencialidades na área da agricultura fizeram com que um grupo composto por 18 sudaneses viesse para o Brasil para participar de um projeto intercampi de cooperação internacional denominado Sistema Integrado para Produção Agropecuária. O objetivo da parceria entre a Embaixada do Sudão e os Institutos Federais do Triângulo Mineiro (IFTM), de Brasília (IFB), do Sudeste de Minas (IF Sudeste de Minas) e do Norte de Minas (IFNMG) consiste na oferta de curso de formação para professores, engenheiros agrícolas, engenheiros químicos e outros profissionais sudaneses que já atuam na área de agricultura no país africano. Promover a melhoria do setor agropecuário no Sudão, sobretudo por meio da produção de alimentos com custos mais baixos, é um dos principais propósitos dos sudaneses.

Apesar de a economia do Sudão ser baseada na agricultura, os sudaneses disseram que custa caro cultivar alimentos no país, o que prejudica a qualidade de vida da população. Por isso, os Institutos Federais organizaram uma programação voltada para a produção de culturas e de leite, contemplando conhecimentos sobre técnicas e ferramentas destinadas ao controle da produção.

Potencialidades da região norte e noroeste de Minas Gerais

Em Arinos, noroeste de Minas, onde eles já estão desde o último dia 10 de junho, o curso terá duração de sete dias. Ao longo das aulas, que estão sendo ministradas por professores do IFNMG-Campus Arinos, serão discutidos, entre outros, os seguintes assuntos: Sistema de Cultivo para Clima Tropical, Conservação de Solos e Manejo Orgânico, Nutrição Animal/ Integração Agricultura e Pecuária, Manejo Pós-colheita, Qualidade Fisiológica e Sanitária das Sementes das Grandes Culturas, Melhoramento de Grandes Culturas no Brasil e Controle de Pragas e Doenças na Cultura do Algodão.

Foto 3

Visitas técnicas e atividades culturais também compõem o programa do curso. Entre elas, foi proposta visita guiada às Instalações do Campus Arinos, ao mercado e à Cooperativa Regional da Agricultura Familiar Sustentável com Base na Economia Solidária (Copabase). Durante os passeios já realizados, os sudaneses conheceram o pequi e a castanha do baru, frutos típicos do cerrado brasileiro.

O diretor-geral do Campus Arinos, Elias Rodrigues, destaca que todos os servidores envolvidos na oferta do curso para os sudaneses estão empenhados em apresentar tecnologias e potencialidades da região norte e noroeste de Minas Gerais. “Todo o Campus está mobilizado para atender na recepção, na vivência e no curso de formação da melhor forma possível. Acredito que, assim, podemos contribuir para ampliar conhecimentos técnicos na área de produção agropecuária e impulsionar avanços de ensino e aprendizagem”, enfatiza o diretor.

Troca de experiências

O coordenador de Relações Internacionais do IFNMG, Lauro Sérgio Machado Pereira, que está acompanhando a comitiva dos sudaneses está satisfeito com o resultado dos trabalhos até agora.

“No domingo, na parte da manhã, os sudaneses caminharam por algumas ruas de Arinos até chegarem ao mercado local. Eles ficaram bastante curiosos em relação ao pequi e à castanha do baru, a qual, inclusive, está sendo processada pela Copabase e vendida para uma companhia aérea. Conversando com os professores sudaneses, pude constatar que eles estão bastante interessados, principalmente na produção de cana-de-açúcar, pois eles usam a cana-de-açúcar como fonte de energia. Outro interesse deles está na descoberta de novas técnicas para combater o excesso de sais no solo. Temos certeza que esse trabalho integrado está sendo bastante proveitoso”, disse o coordenador de Relações Internacionais.

Lauro ainda destacou que para recebê-los, o IFNMG se preparou há aproximadamente um mês. “Foi preciso instituir uma comissão, informar-se sobre a cultura sudanesa e programar toda uma logística capaz de respeitar os horários de alimentação, já que os sudaneses, de maioria islâmica, estão no período do Ramadã, em que é obrigatório que os muçulmanos pratiquem jejum da alvorada ao pôr-do-sol. Planejar tudo isso foi uma grande oportunidade de aprendizado e para praticarmos o nosso respeito às diferenças”, analisou Lauro Sérgio.

Alunos e servidores do IFNMG-Campus Arinos também aproveitaram a presença dos sudaneses para aprender mais sobre o país que faz fronteira com o Egito, Arábia Saudita, Eritreia, Etiópia, República Centro-Africana, Chade e Líbia com a sudanesa Fattma Yousuf Elamin Mohamed (foto abaixo), que falou sobre a cultura do Sudão, os aspectos, religiosos, políticos, e climáticos.

Foto 1

No dia 18 de junho, ocorrerá em Brasília-DF evento de encerramento do projeto intercampi de cooperação internacional denominado Sistema Integrado para Produção Agropecuária para os sudaneses com a entrega dos certificados.

 Veja mais fotos dos sudaneses em Arinos:

Foto 4

Foto 5

Foto 6

Fim do conteúdo da página