Portal IFNMG - I Encontro de Lideranças Estudantis do IFNMG cria DCE interino e prevê Central de Grêmios Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

I Encontro de Lideranças Estudantis do IFNMG cria DCE interino e prevê Central de Grêmios

Publicado: Quinta, 05 de Outubro de 2017, 12h38 | Última atualização em Quarta, 18 de Outubro de 2017, 12h24
Estudantes de todos campi que possuem curso superior contam com representação no DCE interino
Estudantes de todos campi que possuem curso superior contam com representação no DCE interino

Durante o I Encontro de Lideranças Estudantis do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG), realizado nos dias 02 e 03 de outubro no Campus Montes Claros, representantes dos estudantes de todos os campi do IFNMG criaram um Diretório Central dos Estudantes (DCE) interino para organizar a fundação desta entidade representativa dos acadêmicos de nível superior e decidiram também trabalhar para criação de grêmios estudantis em todos os campi para posteriormente fundar uma Central de Grêmios para todo o Instituto.

O Encontro, organizado pela recém-criada Diretoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (DAEC), contou com mesas de diálogos, participação de dirigentes do IFNMG e reuniões entre os estudantes para discussão, sistematização e encaminhamento de propostas.

Para o estudante do 8º período de Engenharia Florestal do IFNMG – Campus Salinas e presidente do DCE interino, Alain de Pinho Oliveira, esta terça-feira foi um dia histórico para o IFNMG. “A criação do DCE é fundamental para encurtar as grandes distâncias entre nossos campi e para a solidificação do movimento estudantil do IFNMG com toda a sua heterogeneidade e força”, destacou Alain, que é presidente do Diretório Acadêmico do Campus Salinas. Segundo ele, todos os campi que possuem curso superior estão representados neste DCE interino, com mesmo peso de decisão. “De imediato, já estamos trabalhando para a formalização da entidade, para a estruturação dos diretórios acadêmicos nos campi que ainda se encontram em processo de formação e para a confecção do estatuto”, disse o acadêmico.

O estudante do curso técnico integrado em informática do IFNMG – Campus Montes Claros, Sávio Silva Rodrigues, destacou a vontade dos alunos de campi que ainda não possuem grêmio em fazer sua fundação e a disposição dos demais em contribuir nesse processo. “Fiquei muito confiante na força que o movimento estudantil do IFNMG está criando. E por acreditar na importância do movimento estudantil dentro de uma instituição de ensino, tenho a certeza de que a qualidade e o reconhecimento do Instituto só tem a crescer”, disse Sávio.

O Encontro

encontro site

A Diretora de Assuntos Estudantis e Comunitários do IFNMG, professora Ana Alves Neta, reforça que o objetivo do encontro era justamente estabelecer um maior diálogo dos estudantes com a gestão e entre os próprios estudantes, potencializando o protagonismo estudantil. “O intuito do IFNMG era de fato fazer com que os estudantes se sentissem empoderados para trabalhar, tendo autonomia para criar e fortalecer as suas entidades representativas”, diz Ana.

A assistente de alunos Júnia Costa, que trabalha diretamente com o protagonismo juvenil e foi uma das organizadoras do evento, ressalta a importância desse momento de encontro presencial para que os estudantes dos diferentes campi pudessem se conhecer e trocar experiências, contatos e estímulos. “Já havíamos feito várias vídeo-conferências com estes e outros representantes dos campi, mas faltava esse momento presencial para eles se conhecerem e conjuntamente cobrarem e construírem seus espaços”, disse Júnia.

Dirigentes participam

encontro site reitorDurante a abertura do Encontro, o reitor do IFNMG, professor José Ricardo Martins da Silva, pró-reitores e diretores estiveram presentes para saudar e parabenizar os alunos, colocar a instituição à disposição para auxiliar o protagonismo juvenil e responder a perguntas dos estudantes.

O reitor José Ricardo, que assim como muitos outros servidores e dirigentes também é ex-aluno do IFNMG, destacou a importância dos estudantes se engajarem para defender e melhorar a instituição. “Queremos que o IFNMG seja a segunda casa de vocês. Para isso, é fundamental a participação dos estudantes e seus representantes em um ambiente de diálogo entre alunos e gestores que perdure e que se torne algo cada vez mais presente e normal”, ressaltou o reitor.

O estudante de agronomia do Campus Januária, Paulo Victor Francisco de Jesus, o Paulinho, falou de sua destacada trajetória em defesa dos estudantes do Campus Januária e do IFNMG e na luta pela fundação do DCE do Instituto. “O movimento estudantil me ensinou muito a tratar as coisas com maturidade, a saber debater, a saber ouvir. Sempre há combates internos ou mesmo com a instituição, mas no final das contas estamos todos juntos, em defesa da democracia e da política dos institutos federais”, disse Paulinho.

Os estudantes aproveitaram para perguntar aos dirigentes questões que vêm sendo levantadas pelos alunos dos diferentes campi, como ampliação das estruturas físicas, atendimento especializado a alunos especiais, preços das refeições, prevenção e combate a discriminações contra alunos e apoio do IFNMG para participação dos representantes em congressos estudantis regionais e nacionais.

A importância da mobilização

“A política é o maior instrumento de mudança na realidade de uma sociedade, e na política estudantil não é diferente. É fundamental a participação estudantil na construção das suas entidades representativas e a participação dos seus representantes na melhoria da qualidade da instituição, que é de suma importância para todo o norte de Minas”, conclui o presidente do DCE interino, Alain de Pinho.

O representante dos alunos dos cursos técnicos, Sávio Rodrigues, também destacou a importância da mobilização. “Os benefícios da assistência estudantil ou de qualquer outra conquista só existem porque diversas pessoas lutaram por isso – e possivelmente talvez nem tenham tirado proveito próprio, mas beneficiaram muitos alunos no futuro”, disse Sávio, que lamenta reconhecer que uma das principais lutas dos estudantes dos institutos federais nesse momento tenha que ser não só por melhorias mas simplesmente pela existência destas instituições como ofertantes de educação gratuita e de qualidade.

DSC 0791 paulinhoO acadêmico Paulinho também destacou que a única forma de dar novas perspectivas para o país é através da mobilização. “A juventude tem que ter consciência, coerência e opinião sobre aquilo que é bom para a vida dele. Temos que ter opinião para sair lá fora no mercado de trabalho e saber dizer do seu valor, da sua competência, da sua boa formação no Instituto Federal. Aliás, quando vamos nas salas de aulas, não é em defesa de partido A ou B, mas do Instituto Federal, do que ele significa para a minha região, da importância de formação daquela juventude que vai ter perspectiva de viver, de trabalhar, de ter competência, de se colocar como igual e estudar junto com o filho do doutor, do médico, do policial e do produtor rural”, concluiu.

Confira mais algumas fotos da abertura do Encontro:

encontro site2

encontro site3

encontro site4

encontro site5

encontro 1

 

Fim do conteúdo da página