Portal IFNMG - Professores do IFNMG publicam livro sobre o ensino de Espanhol nos Institutos Federais Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Professores do IFNMG publicam livro sobre o ensino de Espanhol nos Institutos Federais

Foto 1 Rosilene e Marcelo Miranda copiar

Os professores de Língua Espanhola do IFNMG Marcelo de Miranda Lacerda (Campus Pirapora) e Rosilene dos Anjos Sant'Ana (Campus Almenara) são dois dos autores do livro “Ensino de Espanhol nos Institutos Federais: cenário nacional e experiências didáticas”, organizado pelo professor Antonio Ferreira da Silva Júnior, do CEFET/RJ. A coletânea foi lançada durante o Simpósio de Ensino de Espanhol durante os dias 01 e 02 de junho, dentro das comemorações do 1º Centenário do CEFET-RJ, e reúne artigos e relatos de experiência sobre algumas práticas pedagógicas de docentes de língua espanhola pertencentes à Rede Federal de ensino.

O professor Marcelo esclarece que a coletânea aborda o cenário nacional do Ensino de Língua Espanhola nos IFs de todos os estados brasileiros com um capítulo referente a cada Instituição. “Sua publicação veio em hora oportuna, em que se discute a implementação da nova Lei do Ensino Médio que revoga a Lei 11.161, de 05 de agosto de 2005 conhecida como a 'Lei do Espanhol', ou seja, na nova legislação, a língua inglesa passa a ser a única língua moderna a ser ofertada  em âmbito nacional, o que causa desconforto na comunidade acadêmica que  tem reivindicado a permanência da oferta das duas línguas na grade do Ensino Médio”, aponta o pesquisador.

Ensino de Espanhol e tecnologia

No capítulo do professor Marcelo Miranda, os temas “Letramento Digital” e “Ensino de Língua Espanhola” são apresentados por meio de um relato de experiência das práticas docentes no âmbito do IFNMG-Campus Pirapora, onde foram desenvolvidas atividades no Ensino Médio Integrado, baseadas no diálogo de dois projetos de pesquisa, intitulados “Letramento Digital através dos Gêneros Textuais” e “M-Learning: possibilidades e desafios”. Marcelo destaca que o relato apresenta a prática docente no decorrer do ano letivo de 2015 e que todo o trabalho foi pensado, planejado e executado com a ajuda de alunos do ensino médio, bolsistas do BICJR/ FAPEMIG e CNPq.

“Os resultados desse estudo só foram possíveis através da discussão conceitual sobre letramento e de sua percepção na prática, momento em que ocorrem o domínio da técnica (de cunho individual) e a significação efetiva na conduta dos discentes (de cunho ideológico) quando abstraem novas informações. Conclui-se que, por meio da intercessão entre projetos de pesquisas mediados pelo ensino de línguas, é possível desenvolver estudos que corroboram para práticas docentes significativas, além de se destacar na literatura por ter como foco a cultura digital dos discentes do Ensino Médio Integrado”, explica o autor, que, ainda, informa que a pesquisa permitiu perceber e pensar em práticas de letramento nas quais as tecnologias superem a fronteira da instrumentalização dos recursos tecnológicos.

O professor Marcelo Miranda é lotado no Campus Pirapora desde 2011. É formado em Letras/ Espanhol pela Unimontes, Mestre em Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD - Portugal) e doutorando em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). 

Aprender Espanhol

No artigo “O processo de ensino/aprendizagem de Língua Espanhola: alguns encontros e desencontros”, a professora Rosilene dos Anjos Sant'Ana, do IFNMG-Campus Almenara, discute aspectos considerados facilitadores e dificultadores para o processo de aprender a língua espanhola, especialmente entre os alunos do curso integrado em Agropecuária do IFGoiano-Campus Ceres, onde a professora atuava.

“A pesquisa apontou a sensação de alegria, a curiosidade do primeiro contato e o entusiasmo de aprender uma nova língua como aspectos facilitadores, o que denomino como momentos de encontro na aprendizagem da língua espanhola. Já como aspectos dificultadores, o desafio em praticar a oralidade, a carga horária do espanhol e a maneira como os alunos veem suas dificuldades foram apontados como maior entrave desse processo”, especifica.

Para Rosilene, resta refletir para que novos caminhos sejam encontrados para sanar os desencontros apresentados na pesquisa e para que os aspectos que proporcionaram o encontro dos alunos com a nova língua possam ser intensificados.

A autora é mestre em Linguística Aplicada Universidade de Brasília (UnB) e Graduada em Letras/Espanhol pela Unimontes.

Foto 2 Lançamento do livro

Autores da coletânea “Ensino de Espanhol nos Institutos Federais: cenário nacional e experiências didáticas”, organizado pelo professor Antonio Ferreira da Silva Júnior, do CEFET/RJ

Fim do conteúdo da página